Saúde Bem Estar

3 dicas para tratar as indesejáveis cólicas

Todos, em algum momento da vida, temos vindo a sofrer de cãibras musculares. Pode ser que, mesmo antes de conhecer o termo.

O formigamento, o desconforto e a dor estão na ordem do dia, quando de cólicas se trata. Por outro lado, podem aparecer em qualquer área do corpo.

Os “culpados”, por assim dizer, são os músculos, já que é lá onde se origina tudo.

Não obstante,há pessoas que têm maior probabilidade de serem afetadas do que outras.

Se quiser saber mais sobre o assunto, convidamos você a continuar lendo.

As cãibras

cãibras

Trata-se de contrações involuntárias a nível muscular. Chegados a este ponto, cabe ressaltar a existência de dois tipos principais com relação aos músculos (voluntários e involuntários).

  • Músculos voluntários: Tal como o nome indica, são aqueles movidos por vontade própria do ser humano. É o caso dos pertencentes às pontas.
  • Músculos involuntários: São o oposto dos anteriores. Neste caso, não podemos controlar o seu movimento, embora queiramos.

Apesar de não cumprir as nossas ordens, estes músculos contribuem para a função vital do organismo. Um exemplo claro é o coração, que se move de forma automática.

Partindo do exposto, as cãibras são diferentes dos músculos involuntários, apesar de apresentar-se de forma semelhante.

E é que, na maioria das vezes, estes aparecem em segmentos musculares controlados de forma voluntária.

A duração destes varia um pouco, mas como máximo se estendem até 15 minutos, aproximadamente.

Leia também:  10 razões por que o vinagre de maçã é tão incrível para a saúde

Cabe destacar que, embora sejam exclusivos de músculos voluntários, há ocasiões em que os involuntários também os apresentam.

Assim, podem ocorrer em órgãos internos, como intestinos e a árvore brônquica.

A que se devem as cãibras?

Alguns fatores são consideradas principais em relação à ocorrência das cãibras. Devido a eles, o músculo se contrai de forma excessiva:

  • Atividade física excessiva ou vigorosa
  • – Lesões musculares ou ósseas.
  • Desidratação.
  • Deficiência de potássio, magnésio e cálcio.

Dicas para tratar as cólicas

O aparecimento desta incomoda contração involuntária pode ser prevenida.

Para isso, o ideal é manter o corpo em um estado de hidratação adequado, além de não fazer esforços exagerados.

Não obstante, se não puderem ser evitadas, o melhor é procurar tratá-los de uma forma ou de outra. Nessa ordem de ideias, vamos mostrar algumas dicas excelentes para isso.

1. Massagem com óleo

óleos essenciais

Esta técnica não conta com suficiente evidência científica para provar seu desempenho, portanto, recomendamos cautela na hora de aplicá-la.

O também está associada com um certo frescor na área do músculo, tudo por causa da pouca irrigação sanguínea do mesmo. O objetivo, portanto, é promover uma espécie de “aquecimento” para atenuar a dor e contração.

O que devemos fazer?

  • Usar um pouco de azeite aplicá-lo de forma manual pode ser útil.
  • Realizaremos uma massagem de forma contrária à dor, exercendo pressão e em forma de círculo.

De maneira progressiva o músculo irá se recuperando e o problema desaparecerá.

2. Alongamentos

Apesar de ser um remédio da velha escola com relação ao tratamento de cólicas, os resultados desta técnica são excelentes para quem sofre uma incômoda contração involuntária.

A maioria deles costuma apresentar-se nas pontas, e as inferiores são as mais afetadas. Assim, cada segmento pode sofrer eles: ambos os pés, e as pernas ou coxas.

Leia também:  13 sinais em nosso rosto que refletem doenças

O que devemos fazer?

  • Partindo do exposto, o ideal é realizar um estiramento no ao músculo afetado.
  • Pedir o favor a outra pessoa tende a facilitar as coisas, já que, você mesmo pode se machucar.
  • Para isso, é recomendável indicar outra pessoa que se sente e o lugar específico afetado. Sem dúvida alguma, isso facilitará o processo de recuperação.

3. Massagem com alecrim

Cabe lembrar que não há suficiente evidência científica para está técnica, por isso, caso encontre algum efeito secundário recomendamos que você deixe de usá-lo. Não obstante, o óleo desempenha um papel fundamental no que diz respeito ao aquecimento do segmento afetado.

  • Assim as coisas, o álcool de alecrim também pode ser de grande ajuda e, nessa ordem de idéias evitar o uso do óleo.

Este ingrediente tem propriedades entre as quais se destacam as do aparelho circulatório e anti-inflamatórias, perfeitas para combater os efeitos produzidos pelo também.

O que devemos fazer?

A massagem deve ser feita da mesma forma que o óleo: com fortaleza, em círculos e em direção contrária onde se percebe a dor.

Podemos obter o álcool de alecrim em qualquer loja naturista.

Agora você já sabe algumas formas de tratar as cãibras musculares. No entanto, a melhor forma de lidar com eles é mais caro por um bom aquecimento e exercícios de mobilidade antes de começar a fazer esporte ou atividade física.

error: Esse conteúdo é Protegido