Doenças

15 coisas que você deve saber sobre a fibromialgia

A fibromialgia, segundo este estudo, trata-se de uma patologia que se caracteriza por uma dor osteomuscular crônica.Por sua vez, costuma cursar com outros sintomas, como fadiga, problemas de sono, dores de cabeça, depressão ou rigidez articular.

Existe um tratamento eficaz que possa curar esta doença? De momento não, uma vez que não se está diante de um grande “mapa sintomático” do qual não se conhece com precisão a sua etiologia, explica o mesmo estudo citado.

Assim, os tratamentos têm como objetivo oferecer uma melhor qualidade de vida aos pacientes, sem esquecer de trabalhar a área psicológica.

Uma forma muito útil de lidar com a fibromialgia é conhecer os aspectos mais importantes que podem ajudar a aliviar os seus sintomas. Entender um pouco mais sobre esta doença, que, por vezes, pode ser considerado um“inimigo crônica que se instala em nossas vidas sem a sua permissão”, pois, é um modo muito adequado de encontrar estratégias para o nosso dia-a-dia.

Explicamos-Te como.

Causas que podem provocar a fibromialgia e que você deve saber

De acordo com o Colégio Americano de Reumatologia(ACR, por suas siglas em inglês), a fibromialgia afeta de um modo diferente para cada paciente. Não existe um quadro sintomático semelhante para todas as pessoas, mas que alguns apresentam mais dor muscular, outros apenas articular, outros evidenciam mais deterioração cognitiva e até mesmo depressões severas. Ou seja, pode ir desde causas genéticas, até um trauma físico e emocional.

Leia também:  10 sintomas da perda de audição, que você deve conhecer

De lá, as habituais dificuldades em seu diagnóstico e suas posteriores tratamentos. Não obstante, de acordo com o ACR, existem algumas causas que podem nos dar algumas pistas sobre a origem da fibromialgia e que podem nos ajudar a conhecer um pouco mais desta doença.

Abaixo, listamos apenas 15 aspectos sobre isso:

1. Problemas com a tireoide

Os distúrbios associados à glândula tireoide, que costumam resultar em fadiga crônica até dor nas articulações e problemas de sono.

De acordo com vários estudos, no momento em que muitos pacientes diagnosticados com fibromialgia foram tratados por problemas de tireoide, adequando os seus níveis, desapareceram sintomas como a fadiga, a depressão e distúrbios do sono. Assim, a sintomatologia está associada a um diagnóstico diferencial.

2. Deficiência de algumas vitaminas

Os especialistas do ACR afirmam que, as pessoas afetadas por fibromialgia, costumam ter um nível de magnésio bastante baixo, bem como uma deficiência de vitamina B12 e vitamina D.

3. Presença de bactérias no intestino delgado

No nosso intestino habitam bactérias benéficas para o nosso organismo que contribuem para a defesa de muitas doenças.

Ora, foi visto que muitos pacientes diagnosticados com fibromialgia não têm um intestino saudável, mas que sofrem o que se conhece como síndrome do intestino permeável.Lá, onde existe um excesso de bactérias nocivas que se transmitem para a corrente sanguínea.

4. Intolerância ao glúten

Vale a pena saber que a intolerância ao glúten está associada a inúmeras doenças.É frequente que o relacionemos apenas com alterações digestivas.

No entanto, pode causar desde problemas neurológicos, até perda de memória, fadiga crônica, depressão, dores musculares e distúrbios do sono. Não é um sintoma de per se, mas que é usado como método diagnóstico diferencial.

5. Ausência da candidíase intestinal

A Candida albicans é um fungo ou levedura que habita os intestinos e que tem muito a ver com o que foi dito anteriormente sobre a toxicidade nesta parte de nosso corpo, em que o excesso de bactérias e fungos acaba sendo transmitido para a corrente sanguínea.

Leia também:  10 tratamentos naturais contra o herpes labial

E você sabe qual é o resultado? Sofremos dor articular, confusão, problemas digestivos, cansaço, entre outros.

6. Mutações em um gene

Em concreto, o gene que, segundo estudos recentes, pode provocar a fibromialgia, é o autor faz uma COMPARAÇÃO. Sua presença pode ocasionarmos problemas para sintetizar o chumbo e o mercúrio, por exemplo, além de nos impedir a correta eliminação de toxinas. Existem exames médicos que nos podem indicar a presença deste gene.

7. Problemas cognitivos

São frequentes também, tendo dificuldade para a concentração, o foco e a atenção. É a chamada fibroniebla.

Tratamentos não farmacológicos que você deve saber

Além das diretrizes médicas que devem ser seguidas, é muito importante que, no dia-a-dia, começar a fazer mudanças através dos quais possamos obter uma melhor qualidade de vida.

É essencial compreender que a fibromialgia nos incomoda muito e estará presente em nossas vidas, por isso, sugerimos reconhecer como tratá-lo de forma diária. Isso poderia ser feito através de algumas estratégiasque nos permitam silencie-a e debilitá-la para, assim, obter um bem-estar mais adequado.

Toma nota das seguintes dicas que continuam:

8. Técnicas de relaxamento

É importante que, durante uma hora por dia, você pode aprender a relaxar, esvaziar a sua mente e respirar com profundidade. Encontrar um equilíbrio interno e uma paz adequada com a sua mente e o seu corpo é muito útil para lidar com a dor.

9. Uma melhor alimentação

Evite o excesso de alimentos que nos “inflamadas”:

  • O sal.
  • O açúcar.
  • Os lácteos.
  • A carne vermelha.
  • Os enchidos.
  • Os doces e bolos.
  • Os refrigerantes com gás.
  • As refeições pré-preparadas ou sopas.

10. Alimentos recomendados:

  • A linhaça.
  • Os abacates.
  • As leguminosas.
  • O peixe azul.
  • Sementes de chia.
  • O óleo de oliva.
  • A fruta, com pele, crua, não na forma de sucos. Procura em especial a que seja rica em vitamina C.
  • A verdura fresca e, se possível, crua, como é o caso dos tomates, as cebolas, o pimentão, o brócolis e o alho.

11. Massagens e exercícios suaves

As massagens ajudam a redução da dor.Vários estudos recomendam-se 3 sessões semanais, de 30 a 45 minutos cada um, se querem ver resultados. Podemos dormir melhor e sentir-nos mais leves, além de sentir as articulações menos rígidas.

Leia também:  10 sintomas de uma doença renal que você deve saber

Também seria muito adequado que você vai praticar yoga em casa, já que são exercícios suaves para melhorar a sua mobilidade.

Aspectos finais que deve ter em conta sobre a fibromialgia

12. Leva um diário

É altamente recomendável fazer um registro diário sobre a sua condição. Há dias em que sentimos menos dor, e é importante saber o que fizemos ou que deixamos de fazer para atender melhor. Lembre-se também que cada paciente é único, daí que vá ser você mesma a melhor observadora de seu corpo.

13. Tenha em conta outras alternativas

Há quem só confia na medicação e se recusa a experimentar outras terapias, tais como relaxamento ou até mesmo ir ao psicólogo para tratar a depressão ou problemas emocionais. Não se esqueça de que a fibromialgia é uma doença formada por várias doenças físicas e psicológicas que há que saber lidar em várias áreas.

Assim, é melhor testar alternativas e ver quais os resultados que nos oferecem.

14. Agora encoste-se na sua família, nos seus amigos e em suas médicos

O apoio social é fundamental no nosso dia-a-dia. Permite-lhe sentir-se apoiada e compreendida, assim, evita isolar você pensando que os outros não sabem o que sente. Procura o melhor suporte!

15. Não deixe que a fibromialgia domine sua vida

A dor nos faz prisioneiros, sabemos, mas, se você cede a cada dia a favor da fibromialgia, só restará o sofrimento. Não o deixe. Tenta levar uma vida normal dentro de suas possibilidades, procurando sempre a sua felicidade, procurando fazer outras coisas, ou seja, trata de sair cada dia com uma atitude positiva, e deixa em segundo plano esta doença.

Todo esforço, toda a ajuda, vai valer a pena.

error: Esse conteúdo é Protegido